quarta-feira, 1 de fevereiro de 2017

Projeto Acelerar o conhecimento III Meditação I



Projeto Acelerar o conhecimento III


Meditação da Consciência Arquetípica I


Uma excelente forma de acelerar a aprendizagem é a Meditação da Consciência Arquetípica (MCA). Esta meditação permitirá seu eu mais profundo entrar em contato com o Akasha liberando seu ego para aprender diretamente da Fonte. O simples fato de estar lendo este texto já é uma prova de que está à procura da transcendência das formas de maia. Para entender esse trabalho é preciso deixar a mente científica de lado e mergulhar na intuição mais profunda que existe em tudo o que existe. Este lago profundo de onde tudo emerge. O simples fato de ler estas palavras ativará os códigos chave para o despertar da sua essência divina.


Esta é a forma mais rápida de adquirir conhecimento em todas as suas formas. O desdobramento do seu espírito para ter contato direto com os Arquétipos permitirá entender o porquê de tudo ser como é. O conhecimento do passado, presente e futuro é apenas o conhecimento do eterno agora. Tudo se desdobra constantemente seguindo uma lógica inexorável. O que parece um Cisne Negro é apenas a consequência lógica de inúmeras variáveis que normalmente nem se conhece que existem. O conhecimento das causas primeiras é fundamental para se entender o presente e o futuro.


Nesta meditação profunda auto induzida estamos conscientes e desdobrados ao mesmo tempo. Executando várias funções ao mesmo tempo em várias dimensões. Em todas essas dimensões estamos absorvendo conhecimento de inúmeras formas. Não é imaginação o que se pretende aqui. Imaginação é importante, mas em outro contexto. Aqui é uma ação multidimensional. Este trabalho tem de ser feito com supervisão de um mentor espiritual para sua própria proteção. 


A Consciência Arquetípica contém toda a informação que já existiu, está existindo agora e tem todos os potenciais futuros. Pode ser que apareçam imagens, mas se isso acontecer elas devem ser espontâneas e não fruto de racionalização. É preciso muito discernimento para separar uma coisa da outra. A realidade é uma coisa e o que se deseja outra. A realidade está além de todo o condicionamento psicológico que possa ter sido feito. Todo o automatismo é enganoso. Receberemos a informação que necessitamos receber. Os Arquétipos conduzem a meditação para o melhor resultado possível no momento. 


Quando uma pessoa está lendo um livro complexo e tem vislumbres de novos significados dos fatos ou de acontecimentos passados, esse é um momento de expansão da complexidade da consciência. A pessoa sente que algo expandiu dentro de si. Há um salto consciencial imediato. Isto lendo um livro. No caso da meditação não existe limite de tempo nem de espaço para que esse salto seja dado. Não existem limites. Só depende de quanto a pessoa quer aprender e pôr em prática. Isto é importante, porque conhecimento sem prática é inútil. É preciso vivenciar o conhecimento adquirido. Somente assim ele será incorporado emocionalmente. E desta forma passará a fazer parte realmente do mais profundo do ser. Não mais é preciso pensar para ser. Simplesmente se é. Neste ponto não existe mais persona nem máscara. Só existe uma realidade última. Nesse ponto o mundo de maia desapareceu e se pode trafegar em todas as dimensões.


Quando voltamos no passado vivenciamos a situação como era na época. No Akasha é possível ver os fatos em três dimensões e num nível mais avançado “entrar” na história e participar. Tudo está gravado a ferro e fogo? Não! Tudo é plasmável e modificável. Tudo pode ser vivenciado novamente e fazer de outra forma com resultados diferentes. Existem inúmeras realidades acontecendo ao mesmo tempo. Porque existiria algum limite se a emanação está plena de infinitas possibilidades? Porém, as infinitas possibilidades só existem para aqueles que elevaram a própria vibração ao nível da emanação primordial. Neste ponto tudo é plasmável. Isto é fundamental que seja entendido. Uma pedra tem poucas possibilidades de agir no mundo, quanto mais em livrar-se da consciência de maia. 


A meditação propicia uma expansão acelerada em todos os sentidos. No entanto, os insigths devem ser seguidos com discernimento. Tudo que é construtivo é positivo. O contrário também é verdadeiro. É muito fácil de perceber os resultados pelos frutos da árvore. É indispensável gastar o tempo que for para conseguir o autoconhecimento que exponencia a meditação. São níveis que se abrem a cada dia em que ela é praticada. O mundo dos Arquétipos é tão real quanto este em que vivemos materialmente. Mas, ele está em outra dimensão vibracional. No entanto, o que é uma dimensão? É uma simples questão de vibração atômica. Aprofundando a meditação é possível aumentar a vibração para atravessar as barreiras dimensionais e ir até onde nossa vibração permitir. Portanto, o único obstáculo é a nossa frequência vibracional e isso nós controlamos com a nossa evolução. Isso só depende de nós. 


Dentro do campo da consciência existem muitos níveis de acesso a partes que não são conhecidas por nós conscientemente. Conhecer o que existe nestes meandros é importante e isso deve ser feito apenas com a meditação conduzida pelo mentor espiritual. Desde que isso seja feito não há problema. É preciso optar conscientemente por mentores da Luz. Quando saímos do mundo de maia a realidade é muito diferente do que imaginávamos ser. E é por isso que aprendemos rapidamente. Multidimensões quer dizer a vivência de todas as variáveis ao mesmo tempo. Podendo ficar centrado em qualquer uma delas. Nós estamos imaginando a vida de uma borboleta ou é a borboleta que está imaginando a nossa vida? Como ter certeza disto? Ou as duas coisas estão acontecendo ao mesmo tempo? E se incluirmos todas as borboletas do mundo? Vivenciando cada uma delas e cada uma delas vivenciando todas as demais? Não seria isso o que se quer dizer que tudo está interconectado desde o início? Qual o limite da interconexão? Se a Consciência Arquetípica permeia tudo?


Uma coisa muito difícil para qualquer historiador é definir a ignorância de algum tempo sendo estudado. Estudar os fatos depois de 200 anos e achar que deveria ter sido feito isso ou aquilo é muito fácil, mas naquele momento específico o que eles sabiam e o que eles ignoravam? Essa é a questão em todas as épocas. E hoje? Qual é a ignorância (no sentido de desconhecer) que temos? Este fato atrasa demais nossa evolução. Com a meditação podemos transcender isso e ter a visão que no futuro terão de nós ou que nós teríamos de nós mesmos no futuro. Como seu eu daqui a um milhão de anos analisaria o que acontece agora? O que ele acha que deveria ser feito agora? Um fato é irreversível: daqui a um milhão de anos cada um fará esta avaliação. 


Continua...

Hélio Couto
www.aceleraroconhecimento.com.br

Nenhum comentário:

Postar um comentário


Videos editados I


Ninguém está autorizado a editar meus vídeos e fazer montagens, cortes, adições ou qualquer outra manipulação com as imagens das palestras.

Somente com autorização por escrito alguém pode usar minhas imagens.

Isso já foi dito na palestra passada e já postei sobre isso.

Quem está fazendo isso está prejudicando o trabalho.

Existe uma estratégia de divulgação feita por mim e que está sendo seguida à risca.

Todos os vídeos editados por outras pessoas devem ser tirados de qualquer mídia em que estiverem.

Postagens populares

Marcadores