terça-feira, 11 de outubro de 2016

O Poder de soltar III



O Poder de soltar III

A natureza da realidade

Quantas pessoas já pararam para pensar na natureza da realidade? Do que é feito o tecido do espaço/tempo? O que é uma dimensão? Quantas dimensões existem? O que há nestas dimensões? É possível ir de uma dimensão para a outra? Quando a pessoa olha ao redor de si ela percebe que está em apenas uma das dimensões? Percebe que as outras dimensões estão no mesmo local? Em frequências diferentes? Será que percebe que está em várias dimensões ao mesmo tempo?

A resposta para tudo isso está no paradigma vigente. O paradigma da pessoa forçosamente faz com que a heurística (processo de encontrar soluções) da pessoa sempre permaneça no mesmo paradigma. Somente transcendendo o paradigma vigente é possível enxergar as demais realidades ocultas pelo véu do paradigma vigente. É o que se chama de pensamento multidimensional. Avaliar todas as variáveis de um dado problema. Nada é branco ou preto. Existem infinitos tons de cinza e outras cores também. 

Existe um paradigma real e outro não-real. Enquanto a pessoa vive no paradigma não-real as soluções são impossíveis. No paradigma real a Teoria do Caos reina. Para fugir do Caos é que criaram o paradigma não-real. 

O poder de soltar faz com que a pessoa transcenda o não-real e passe a viver no real. E as vantagens de viver no real são infinitas e valiosas por si sós. 

Como se aprende a soltar? Para soltar é preciso querer mudar de paradigma. Sentir que o paradigma não-real é uma prisão para si mesmo. Dizem que perdoar é libertar um prisioneiro e que o prisioneiro é a própria pessoa. Esta é uma grande verdade. A pessoa cresce dentro de um determinado paradigma não-real e acredita que aquilo é tudo o que existe. Quantas vezes a pessoa tem uma intuição ou lampejo de outra realidade e ignora? Ou o que acontece quando a pessoa começa a refletir sobre a intuição que teve? E persiste até entender o que está acontecendo? É uma coisa muito simples fazer isso. Basta pensar, analisar, estudar, investigar, olhar com outros olhos.

Existe uma sensação visceral completamente diferente de viver no real ou no não-real. Dá para sentir isso fisicamente. Pode-se chamar isso de somatização. Viver no não-real tem um custo tremendo porque está fora da natureza da realidade. E viver no real permite outra alegria de viver. É por esta razão que quando a pessoa entende e sente a Teoria do Caos a vida muda. E um mundo novo se descortina. O véu se rasga.

Hélio Couto
www.opoderdesoltar.com.br

Um comentário:

André Luiz Corazza disse...

Gratidão Prof. Hélio Couto pela canalização.
Ontem tive uma brilhante intuição que abordou que eu estava vivendo o não-real.
Eu consegui soltar e foi possível perscrutar e aceitar esse paradigma que carregava.

Postar um comentário


Videos editados I


Ninguém está autorizado a editar meus vídeos e fazer montagens, cortes, adições ou qualquer outra manipulação com as imagens das palestras.

Somente com autorização por escrito alguém pode usar minhas imagens.

Isso já foi dito na palestra passada e já postei sobre isso.

Quem está fazendo isso está prejudicando o trabalho.

Existe uma estratégia de divulgação feita por mim e que está sendo seguida à risca.

Todos os vídeos editados por outras pessoas devem ser tirados de qualquer mídia em que estiverem.

Postagens populares

Marcadores