quinta-feira, 30 de junho de 2016

Budismo I




Budismo I

Será que Buda, Lao-Tsé, Sócrates, estavam errados?

“Guardai tesouros no Céu onde não há traças...”.

No filme “Ressurreição” com Joseph Fiennes, tem um momento em que o Tribuno solta o anel de Tribuno do Império Romano. Neste momento ele está livre. Completou a sua transformação e iniciou a sua evolução. A Calcinatio terminou e a próxima operação pode começar.

Existem inúmeros livros explicando o Zen, o Tao, o Budismo, a Alquimia, a Mitologia, os Arquétipos, etc. explicando a mesma coisa de inúmeras maneiras diferentes. Será que foi entendido o que Joseph Campbell explicou? E o que John Forbes Nash provou?

A prosperidade é um paradoxo porque somente quando a pessoa solta tudo é que pode começar a evoluir na prosperidade. Nunca esquecer o que Sólon disse: o jogo só acaba quando termina. Qualquer avaliação no meio do jogo é imprudência. A questão aqui é que o soltar não pode ser uma tática, uma política, etc. Tem de ser real no mais profundo do ser. Somente assim o desapego, o soltar, pode produzir os seus frutos. A consciência cria a realidade e somente uma consciência que soltou tudo pode criar a realidade. Todos os Avatares da humanidade entenderam isso e disseram isso de várias maneiras.

No Taoismo existem inúmeras histórias, estórias, fábulas, contos, dizendo isso. Se tem ótimo se não tem ótimo do mesmo jeito. Se ganhou ótimo se perdeu ótimo. Se tem carro ótimo se não tem ótimo. Se tem o que comer ótimo se não tem ótimo. Se usa óculos ótimos se não usa ótimo. Se se veste de terno ótimo se não se veste de terno ótimo. Todas essas questões são irrelevantes. "Buscai o Reino dos Céus e tudo o mais vos será acrescentado”. “Vocês estão no mundo, mas não são do mundo”. “Vai vende tudo que tem e segue-me”. “Daí a Cézar o que é de Cézar e a Deus o que é de Deus”.

Iluminação é Servir.

Todo o sofrimento deste mundo é causado pelo apego, por não soltar tudo. Soltar interiormente. Pode-se ser um mendigo e continuar apegado ao mundo e às coisas. É preciso separar muito bem uma coisa da outra. Ser miserável e sentir inveja, ciúmes, rancor, ódio, raiva, preguiça, etc. não é evoluir. Ter posses materiais e sentir apego é o problema. O apego é o problema sempre. Essa diferença é interna, é espiritual, é uma filosofia de vida, é um conceito, um estado da arte da consciência. Estar no mundo, mas não ser do mundo.

E não estou falando para ninguém virar miserável, nem mendigo, nem sair do emprego, nem do casamento, nem largar tudo e ir para o Tibete ou para o meio do mato. Muito cuidado para não tirar as palavras do contexto onde estão sendo explicadas. Por isso editar os vídeos é um problema. Toda palestra tem começo, meio e fim. Editar pedaços é destruir o trabalho.

Quando se solta o ego é que se pode cumprir com todos os deveres e obrigações sociais deste mundo. Um soldado com apego ao ego fugirá da batalha. No desembarque da Normandia na Segunda Guerra isso ficou claríssimo. Somente quando os soldados desistiram de viver é que puderam avançar e isso levou três horas para acontecer, pois não avançavam nada depois de 3 horas de desembarque. Quando aceitaram a morte é que progrediram. Portanto, soltar é algo muito profundo. Somente soltando tudo é que poderemos trabalhar e progredir em todas as áreas. Mas, para que isso possa acontecer o progresso neste mundo não pode significar nada para a pessoa. Este é o paradoxo.

Hélio Couto
www.heliocouto.com

Nenhum comentário:

Postar um comentário


Videos editados I


Ninguém está autorizado a editar meus vídeos e fazer montagens, cortes, adições ou qualquer outra manipulação com as imagens das palestras.

Somente com autorização por escrito alguém pode usar minhas imagens.

Isso já foi dito na palestra passada e já postei sobre isso.

Quem está fazendo isso está prejudicando o trabalho.

Existe uma estratégia de divulgação feita por mim e que está sendo seguida à risca.

Todos os vídeos editados por outras pessoas devem ser tirados de qualquer mídia em que estiverem.

Postagens populares

Marcadores