sexta-feira, 15 de janeiro de 2016

O nono segredo da prosperidade





O nono segredo da prosperidade

Transparente ao transcendente

Esta é a expressão que Joseph Campbell usava para explicar que o único modo de evitar o bloqueio psicológico é torna-se transparente ao transcendente.

Isso significa deixar passar o transcendente através de você. Ser transparente, ser um canal sem obstrução. Quanto mais transparente ao transcendente mais felicidade terá. O termo felicidade que estamos usando é muito superior ao que se considera normalmente como felicidade. Encontrar essa felicidade é o trabalho que cada ser tem de fazer por si mesmo. Em termos religiosos fala-se em bem-aventurança, mas não é isso que estamos falando. É mais profundo que isso. É o sentimento de união cósmica com o Transcendente. Ser totalmente transparente. Esse o objetivo final de qualquer ser. Sentir essa felicidade que está além das palavras normalmente acontece quando alguém percebe o Amor Transcendente que está recebendo. A questão aqui é perceber, pois sempre se está recebendo. Perceber é um instante de glória eterna. É como se uma montanha imensa de Amor Transcendente soterrasse a pessoa. E este amor inunda todos os átomos, todas as partículas elementares da pessoa. Toda a pessoa fica paralisada de tanto Amor recebido. Sempre se diz que o Todo não se deixa vencer em generosidade. Isto é uma absoluta verdade. Como o Tao, também é preciso sentir para entender. A felicidade que Campbell falava é essa realização pessoal total, fluir com o Tao, ser transparente ao transcendente, perceber a generosidade do Todo.

Em termos de experiência mítica ou mística seria como tomar o Elixir dos Deuses. Sorver da Fonte da Vida. Encher-se do Amor do Todo. Transbordar de Amor do Todo.

O caminho do herói é alcançar este estado de êxtase. De ser uno com a vida. É isso que o herói tenta passar quando volta para casa e conta sua experiência. Os mitos falam desta busca do Transcendente, mostram os vários caminhos para se chegar ao transcendente. O sinal de que se chegou é a alegria genuína de viver. Como a criança que ganha um brinquedo no Natal e não para de brincar. A criança não se cansa. Brinca horas e horas sem cansar. Os adultos não conseguem entender como a criança não se entedia com aquilo. A questão aqui é que a criança não está consumindo o brinquedo. Ela está sendo o brinquedo. Ela é o brinquedo são um. Carlos Santana diz que a música passa por ele. Essa é a alegria que não cessa nunca quando alguém se une ao transcendente. O transcendente é pura alegria como é puro amor. São duas faces da mesma moeda. É impossível ter uma e não ter a outra. 

Quando se vê uma entrevista, palestra ou se lê os livros de Campbell fica claro que ele encontrou essa alegria e felicidade além do entendimento racional. Por isso é muitas vezes difícil entender o alcance do que ele está dizendo. É o que acontece quando ele diz: siga a sua felicidade. Não é a felicidade de possuir coisas, ter poder, etc. Ele está falando da felicidade transcendente de se viver de maneira transcendente. Quando se vive de acordo com a própria essência. Quando se segue a vocação de nascença. Quando se faz o que se veio fazer. Nesse ponto já se está a um passo do transcendente. Só falta um detalhe: a intenção de se unir ao transcendente.

É nesse momento que a vida da pessoa se transforma, pois, ela passa a ser um canal do transcendente. E aí a pessoa só sente amor incondicional. Quando se assiste a uma entrevista de Campbell e ele conta um ritual de uma tribo em que algumas pessoas morrem no ritual, não há julgamento, não há tabu, não há preconceito; só há amor incondicional por aquelas pessoas. Elas estão aprendendo. Estão seguindo seus mitos. Estão evoluindo. Fazem aquilo com a melhor das intenções. Não há mal no que fazem. Mesmo quando se trata de um chefe de campo de concentração não se sente ódio por ele. Sente-se tristeza pelo sofrimento que aquele ser está atraindo para si mesmo. O Amor Incondicional cobre tudo, mas as consequências são inevitáveis. Como aquele ser aprenderá que o Amor Transcendente é tudo o que existe? Ninguém quer que ele sofra, mas ele atrai para si o que semeia, através das leis do eletromagnetismo cósmico.

Para entender a generosidade do Todo é preciso vivencia-la. E para isso acontecer é preciso estar disposto a isso. É preciso deixar o ego de lado e ser transparente ao transcendente. Sendo assim imediatamente começa a perceber o Amor que permeia tudo o que existe. A substância última da realidade é o Amor. Quando a ciência olhar no mais profundo da realidade física encontrará uma energia que é o Amor. A base de tudo o que existe. De onde tudo emana. 

Quando se chega a sentir isso é que a prosperidade é infinita em todas as direções.

Hélio Couto
www.prosperidadeeterna.com.br

Um comentário:

Atelier Voyage disse...

Belíssimo texto. É o estreito caminho que devemos percorrer através das dimensões. Gratidão.

Postar um comentário


Videos editados I


Ninguém está autorizado a editar meus vídeos e fazer montagens, cortes, adições ou qualquer outra manipulação com as imagens das palestras.

Somente com autorização por escrito alguém pode usar minhas imagens.

Isso já foi dito na palestra passada e já postei sobre isso.

Quem está fazendo isso está prejudicando o trabalho.

Existe uma estratégia de divulgação feita por mim e que está sendo seguida à risca.

Todos os vídeos editados por outras pessoas devem ser tirados de qualquer mídia em que estiverem.

Postagens populares

Marcadores