segunda-feira, 9 de novembro de 2015

Matrix XII



Matrix XII

A questão da imaterialidade da consciência ou mente pode ser resolvida quando se entende de que é feito tudo que é material (considerando material o que tem massa). Algo passa a ser material (ter massa) quando o Bóson de Higgs (um campo) “dá” massa a ele. Um campo colide com uma onda e esta passa a ter massa. É assim que a matéria surge neste universo.

Se voltarmos um pouco veremos que não existe massa de forma alguma. O Vácuo Quântico ou Energia do Ponto Zero são pura energia (onda) sem massa. Essa energia que flutua por todo o infinito é que se transforma em Bóson de Higgs e dá massa a outra coisa.

A mente ou consciência é imaterial no sentido de não ter massa, mas tem substância. A substância da mente é a própria substância de tudo o que existe. É uma onda. A mente pode se transformar no que quiser sem perder a autoconsciência. É apenas uma questão de percepção da realidade. Se uma pessoa acredita que não pode se fundir com uma árvore ela não conseguirá fazer isso. Outra pessoa acredita que pode se fundir e faz isso. E depois volta ao estado normal (seu formato original seja qual for ele). Isso é válido para qualquer coisa que exista, pois tudo é consciência em última instância. É por isso que existem as infinitas possibilidades. Para aquele que acredita nas infinitas possibilidades. As infinitas possibilidades estão sujeitas à intenção de Tudo-O-Que-Existe. O Todo.

Todo ser que usa sua intenção afeta tudo o mais. Quando observamos um elétron e fazemos o experimento da dupla fenda retardada nossa intenção está afetando o comportamento do elétron ou fóton ou moléculas (o que já é algo extremamente material e grande). Portanto, existem dois observadores: O Observador e o observador (o sujeito que faz a experiência). É a união das duas observações que cria a realidade objetiva.

Iluminação é sentir isso. Sentir que o Observador está dentro de si. Junto com o observador. É o que se chama a Parte e o Todo. Quando estes dois observadores se fundem num só é que a verdadeira felicidade pode ser sentida. Pois nesse ponto há unificação de consciências. É por esta razão que quando há um relacionamento entre dois observadores há alegria e felicidade. Porque aconteceu uma unificação. São um só. Essa é uma experiência transcendental, pois transcende cada um dos observadores. É criada uma consciência expandida pela união (multiplicação) das consciências. Quanto mais consciências se unificam mais alegria há. Até o ponto em que só há uma consciência (a unificação de todas) e a alegria é infinita.

Nenhum comentário:

Postar um comentário


Videos editados I


Ninguém está autorizado a editar meus vídeos e fazer montagens, cortes, adições ou qualquer outra manipulação com as imagens das palestras.

Somente com autorização por escrito alguém pode usar minhas imagens.

Isso já foi dito na palestra passada e já postei sobre isso.

Quem está fazendo isso está prejudicando o trabalho.

Existe uma estratégia de divulgação feita por mim e que está sendo seguida à risca.

Todos os vídeos editados por outras pessoas devem ser tirados de qualquer mídia em que estiverem.

Postagens populares

Marcadores