terça-feira, 5 de maio de 2015

Baltimore



Baltimore
Será que as pessoas que começaram a traficar os escravos no século XV pensavam nas consequências dos seus atos? Ou só nos lucros fenomenais que conseguiam?
Será que algum economista já calculou o valor da mais valia de quase 400 anos de escravidão? Imaginem o valor que isso deve representar. Essa é uma acumulação de capital que permitiu os impérios. Milhões de pessoas trabalhando para algumas pessoas praticamente com custo zero. Esse capital acumulado é a riqueza que as pessoas que usaram os escravos têm até hoje. Tudo isso está documentado nos cartórios de todos os países envolvidos. Os manifestos de carga estão todos guardados nos arquivos históricos. Um historiador pode ter acesso a isso sem problemas. Uma forma de compensar um pouco o sofrimento que causaram seria investir esse dinheiro na educação dos descendentes dos escravos. Se isso fosse feito a partir de 1865 a situação hoje seria completamente diferente. E será diferente quando isso for feito. Em 1889 isso foi dito com todas as letras. Que seria preciso um esforço gigantesco de educação para superar os problemas trazidos pela escravidão.
Para entender qual é a situação basta assistir ao seriado “The Wire”. Os roteiristas e diretores fazem o que podem onde estão. Se cada um fizer o máximo que pode onde está, isso seria resolvido logo. Caso contrário o carma da escravidão continuará por muito tempo.
A maioria das pessoas daquela época foram coniventes com a escravidão, justificando seus atos e racionalizando de uma forma ou de outra. Como um ser humano pode ser tratado pior do que tratavam os animais? Alguém fazia com um boi o que faziam com os escravos? É claro que não porque o boi valia mais que um humano.
Um extraordinário livro sobre conivência é “Criança 44”, de Tom Rob Smith. Imperdível. Ninguém deveria passar por esta vida sem ler este livro. Mostra exatamente como funciona o planeta Terra em todas as épocas e lugares.
A liberdade é a coisa mais preciosa que existe. Sem ela não há livre arbítrio e sem isso não podemos deixar a Centelha Divina atuar.

Nenhum comentário:

Postar um comentário


Videos editados I


Ninguém está autorizado a editar meus vídeos e fazer montagens, cortes, adições ou qualquer outra manipulação com as imagens das palestras.

Somente com autorização por escrito alguém pode usar minhas imagens.

Isso já foi dito na palestra passada e já postei sobre isso.

Quem está fazendo isso está prejudicando o trabalho.

Existe uma estratégia de divulgação feita por mim e que está sendo seguida à risca.

Todos os vídeos editados por outras pessoas devem ser tirados de qualquer mídia em que estiverem.

Postagens populares

Marcadores