segunda-feira, 30 de dezembro de 2013

2014 - Previsões



2014 – Previsões

O ano que termina foi o começo das transformações. Basta comparar o final de 2012 com a situação que estamos agora. Basta olhar qualquer retrospectiva e perceber que algo muito grande está em andamento.
A diferença deste ano para 2014 é que os humanos não conseguirão mais “jogar as coisas pra debaixo do tapete”. Para que o status quo seja mantido faz-se qualquer coisa, isto é, não se faz nada. Como disse uma jornalista francesa sobre a questão das escravas sexuais e a atitude dos responsáveis: “é urgente não fazer nada”.
Vejamos alguns exemplos:
No filme “JFK -  A pergunta que não quer calar” de Oliver Stone, versão estendida do diretor (não é o filme que foi lançado nos cinemas na versão original) tem uma cena em que o promotor Jim Garrison vai a um programa de televisão. O entrevistador não deixa que ele mostre as fotos para os espectadores. Qual a reação que isso provocou? Nada. Pra debaixo do tapete! Quando o filme Zapruder foi divulgado mostrando a sequência de tiros qual foi a reação? Nada. Tapete!
O bombardeio de Dresden, cidade sem alvos militares, no fim da guerra, foi feito para que? Qual a reação? Nada. Tapete!
A questão de como os escravos foram tratados no Brasil. Uma ínfima parte das crueldades foram divulgadas. Qual a reação? Nada. Tapete!
No filme “Senhores do Crime”, Viggo Mortensen,  é mostrada (o que pode ser mostrado num filme) a questão do tráfico de escravas eslavas para o ocidente (menores de 14 anos). Qual a reação? Nada. Tapete!
No filme “Senhor das Armas”, Nicolas Cage, (filme biográfico), é mostrada a questão do tráfico de armas pelo mundo. Qual a reação? Nada. Tapete!
Dezenas de livros sobre como Wall Street criou a atual crise. Qual a reação? Nada. Tapete!
A aparição de pirâmides na Antártida fruto do degelo. Estas pirâmides invalidam toda a explicação oficial sobre a história, sociologia, economia, religião, etc. divulgada para a população terrestre a milênios. Qual a reação? Nada. Tapete!
A lista é interminável...
O que se tornará a cada dia mais incômodo para os humanos é fazer o que sempre fizeram. Jogar pra debaixo do tapete. Psicologicamente não conseguirão mais fazer isso. Será extremamente incômodo tentar fazer isso. Só este fato já fará de 2014 um ano como nenhum outro até agora. O status quo só pode ser mantido quando as pessoas conseguem parar de pensar no que aconteceu na América na década de 60, por exemplo. John Kennedy, Martin Luther King, Bob Kennedy, Malcom X... Como é possível tudo isso ficar debaixo do tapete? É como o promotor disse: “em 2039 inventarão outra razão para não podermos acessar os arquivos”. Ad infinitum. Como o povo americano conseguiu por isso debaixo do tapete? Porque a manutenção do status quo interessava às pessoas. Seja qual o custo futuro que isso teria. E o custo futuro todos estão pagando agora. Vejam o grau de endividamento em que eles estão agora. E crescente.
Falando em dívidas é sempre bom lembrar o caso da cliente que não percebeu que crédito é dívida. Fazer uma dívida é a mesma coisa que se tornar escravo. Sutilmente, indolor no começo, mas que depois aperta nossa garganta como garras de ferro. Nunca mais a pessoa escapa até que a dívida seja paga. Esta consciência também virá à tona em 2014. As pessoas já estão sentindo as consequências do endividamento. Depois que a dívida foi feita, só com sangue, suor e lágrimas será possível paga-la. E isso por muito tempo. Tenho cliente que só conseguirá pagar a dívida com bancos em 2024 e já faz anos que vem pagando. Este cliente não faz mais nada na vida. Alimentação mínima, sem passeios, sem comprar, só trabalhar e pagar. Será que ele não foi alertado de que não deveria fazer dívidas? Foi, mas a sedução de apertar um botão num terminal eletrônico e transformar crédito em dinheiro na conta foi maior. E agora as consequências são trágicas. Porque se ele não pagar seu nome irá para a lista negra e ai ele se torna uma não-pessoa e continuará devendo. O pior dos dois mundos!
Porque estou contando isso? Para que aqueles que ainda não entraram em dívidas pensem muito bem antes de faze-las. O percentual de clientes que estão endividados é enorme. E o desespero também. E a saída está em trabalhar, trabalhar e trabalhar...
E se perguntarmos aos endividados se eles optariam pelo “Equilíbrio de Nash” é uma incógnita se a escolha seria “sim”. Este é o problema principal e é por isso que se endividaram. Porque essa escolha não foi feita.
Portanto, a primeira grande transformação será que não haverá mais tapete!

Direitos Autorais:
Copyright © Hélio Couto. Todos os direitos reservados.
Você pode copiar e redistribuir este material contanto que não o altere de nenhuma forma, que o conteúdo permaneça completo e inclua esta nota de direito e o link: www.heliocouto.com


Nenhum comentário:

Postar um comentário


Videos editados I


Ninguém está autorizado a editar meus vídeos e fazer montagens, cortes, adições ou qualquer outra manipulação com as imagens das palestras.

Somente com autorização por escrito alguém pode usar minhas imagens.

Isso já foi dito na palestra passada e já postei sobre isso.

Quem está fazendo isso está prejudicando o trabalho.

Existe uma estratégia de divulgação feita por mim e que está sendo seguida à risca.

Todos os vídeos editados por outras pessoas devem ser tirados de qualquer mídia em que estiverem.

Postagens populares

Marcadores