terça-feira, 11 de setembro de 2012

Endereço Cósmico



Endereço Cósmico

Quando a Centelha Divina é emanada recebe um código de identificação. Um nome eterno. À medida que vive suas vidas estas individuações são acrescentadas ao nome original. Depois de um tempo ficará assim, por exemplo:

Nome Original/José da Silva/John Smith/Pierre François/José Rodriguez/Kimio Yuzuka

E por ai vai. A cada encarnação o nome atual é incorporado a todos os demais nomes. Assim é possível acessar todas elas. É um currículo cósmico.
Todo o problema da Centelha Individualizada é viver como se estivesse separada de tudo e de todos; desenvolvendo uma consciência que possa no futuro entrar em fase com o Todo de onde partiu. É assim que o Todo adquire mais vivência, experiência e conhecimento. Multiplicando-se infinitamente de acordo com o Seu potencial, é claro.
A Centelha faz parte de um coletivo. O Todo. Todas as Centelhas de todas as dimensões, de todos os tempos passados, presentes e futuros, de todos os universos e multiversos, são o coletivo. Aceitar isso sem perder a individualidade é o que se chama “O Estado da Arte” da consciência de um ser. Desenvolver todo o seu potencial e usá-lo para o bem do coletivo de livre e espontânea vontade. Expandir ao máximo seu potencial e entrar em fase com o Todo. Esse é o dever da Centelha. Esse é seu destino.
Todas as vidas levam a isso. Cada uma delas é um passo na conscientização de que existe o Todo de onde ela partiu e para onde voltará. Com seu livre-arbítrio. Ninguém é obrigado a ser feliz. Ninguém é forçado a ser feliz. Ninguém é forçado a entrar em fase com o Todo. Isso deve ser feito com alegria, com doação, com amor. Com amor pelo Todo e pelas Centelhas.
A questão de até hoje não terem entendido como pensa o Todo é porque o Todo não pode ser entendido. Ele tem de ser sentido. O Todo é um sentimento. Sem ter esse mesmo sentimento, a Centelha não consegue entrar em fase com o Todo. É por essas razões que existem as guerras religiosas de todos os tipos. Uma guerra religiosa é um absurdo total. Uma aberração. Uma coisa totalmente contrária ao Todo. Como pode existir isso? Quando as Centelhas usam o intelecto, a mente. Quando usam isso se distanciam totalmente do Todo, já que Ele não é um pensamento. É por essa razão que os filósofos, cientistas e etc. não conseguem chegar numa conclusão e viver em função do coletivo. O Ego não permite. O Ego da Centelha que pensa, mas não sente, acha que está só e separado de todo o resto. Não consegue elaborar o sentimento do Todo. Não consegue pensar e imaginar o que é o Todo. Muito menos entendê-Lo.
E assim essa Centelha que não entende o Todo faz coisas como torturar, matar, mutilar, etc. outras Centelhas. Essa é a razão de todos os problemas que existem neste planeta Terra. Tudo seria resolvido rapidamente se as Centelhas sentissem o que o Todo sente. Só que esse problema é gigantesco porque centelhas sequer sabem que existe o Todo e esse conhecimento sempre foi suprimido. Desde tempos imemoriais vem sendo suprimido. E assim o instinto natural de procurar o Todo para voltar para casa é transformado numa adoração de deuses menores. E é claro que os deuses menores têm um ego muito grande, mas muito grande mesmo. Um ego de deus. Lembram daquela pessoa que disse: “eu não rezo porque não sei se minha vontade é a mesma Dele”. E esse é um ego de uma centelha candidata a deus menor. Imagine se chegasse a ser um deus menor?
Quando será que as centelhas irão desconfiar que tem algo errado no que acreditam?

Nenhum comentário:

Postar um comentário


Videos editados I


Ninguém está autorizado a editar meus vídeos e fazer montagens, cortes, adições ou qualquer outra manipulação com as imagens das palestras.

Somente com autorização por escrito alguém pode usar minhas imagens.

Isso já foi dito na palestra passada e já postei sobre isso.

Quem está fazendo isso está prejudicando o trabalho.

Existe uma estratégia de divulgação feita por mim e que está sendo seguida à risca.

Todos os vídeos editados por outras pessoas devem ser tirados de qualquer mídia em que estiverem.

Postagens populares

Marcadores