quarta-feira, 21 de março de 2012

Estupro e suicídio


Estupro e suicídio

É por estes motivos que lançaremos no dia 22 de abril a nova ferramenta com a mandala “A Verdade e a Liberdade do Lírio”, para ajudar a resolver a violência sexual contra a mulher.

Caros amigos,

Amina Filali, 16 anos, estuprada, espancada e forçada a se casar com
seu estuprador, se suicidou -- a única forma que ela encontrou de
escapar dessa armadilha montada pelo seu estuprador e pela lei. Se
agirmos agora, podemos impedir essa tragédia indescritível de
acontecer com mais alguém.

O artigo 475 do código penal do Marrocos permite que um estuprador
escape da acusação e de uma longa sentença de prisão ao se casar com a
sua vítima, se ela for menor de idade. Desde 2006, o governo prometeu
derrubar esse artigo e aprovar uma legislação que proibisse a
violência contra mulheres, mas isso não aconteceu.

Centenas de manifestantes marroquinos foram às ruas para exigir uma
reforma real, passando a bola para o Primeiro Ministro e chefes de
outros ministérios, que escrevem e financiam projetos de leis, e a
mídia internacional comprou a história. Se aumentarmos a pressão,
podemos ver progressos reais agora. Assine a petição por uma lei
compreensiva para impedir a violência contra mulheres, incluindo
revogar o artigo 475. Quando alcançarmos 250.000 assinaturas, vamos
trabalhar com grupos feministas locais para entregar nosso clamor aos
tomadores de decisão.

http://www.avaaz.org/po/forced_to_marry_her_rapist_b/?cl=1677649706&v=13335

Quando a Amina foi brutalmente estuprada, sua família relatou o caso
aos oficiais da sua cidade, em Larache. Ao invés de processar o
estuprador, o tribunal deu a ele a opção de se casar com sua vítima--
e a família de Amina concordou com a proposta.

Em resposta à revolta global, o governo emitiu uma declaração
argumentando que a relação foi consensual, mas a história não foi
verificada. Nossos parceiros marroquinos dizem que essa é uma
tentativa típica do governo de colocar a culpa na vítima e justificar
a questão -- enquanto isso a lei se mantém e, mais do que nunca,
precisamos revogar o artigo 475. Grupos feministas em Marrocos já
estão lutando contra isso há muito tempo, e agora é hora da
legislatura renunciar a essa tradição lamentável e aprovar proteções
reais para as mulheres.

Marroquinos revoltados estão inundando os sites de redes sociais e as
ruas em protesto. Centenas de mulheres organizaram manifestações
pacíficas em frente ao tribunal de Larache e do Parlamento nesta
semana. Vamos nos unir à exigência de que as leis devem proteger, e
não pisar nos direitos das mulheres:

http://www.avaaz.org/po/forced_to_marry_her_rapist_b/?cl=1677649706&v=13335

Cada vez mais, os membros da Avaaz têm usado nosso poder coletivo para
se unir a pessoas em torno do globo para lutar por um mundo melhor.
Vamos hoje apoiar Amina Filali e o legado de esperança que deve
permanecer com sua história.

Com essa esperança,

Dalia, Carol, Emma, Rewan, Ricken, Luis, Antonia e toda a equipe da Avaaz

Mais informações:

Marrocos promete rigidez contra casamento pós-estupro (Estadao)
http://www.estadao.com.br/noticias/geral,marrocos-promete-rigidez-contra-casamento-pos-estupro,848936,0.htm

Suicídio de jovem forçada a casar com seu estuprador causa protestos
(BBC Brasil)
http://www.bbc.co.uk/portuguese/noticias/2012/03/120315_amina_filali_rp.shtml

Marrocos: Pais de Amina contradizem o relato oficial, e insistem que a
filha foi estuprada (em inglês) (Al Arabiya)
http://english.alarabiya.net/articles/2012/03/17/201337.html

Marrocos pondera limites mais rígidos contra os casamentos-estupro (em
inglês) (Al Jazeera)
http://www.aljazeera.com/news/africa/2012/03/20123171132404140.html

Manifestantes no Marrocos exigem reforma das leis de estupro após
suicídio de adolescente (em inglês) (CNN)
http://www.cnn.com/2012/03/17/world/africa/morocco-child-rape/index.html

Global Rights relata a violência contra as mulheres no Marrocos (em inglês)
http://www.globalrights.org/site/DocServer/2011-10-14_Final_Shadow_Report_to_CAT.pdf?docID=12983

Página do grupo no Facebook
https://www.facebook.com/groups/188082354639954/A Avaaz é uma rede de
campanhas globais de 10 milhões de pessoas que se mobiliza para
garantir que os valores e visões da sociedade civil global influenciem
questões políticas internacionais. ("Avaaz" significa "voz" e "canção"
em várias línguas). Membros da Avaaz vivem em todos os países do
planeta e a nossa equipe está espalhada em 13 países de 4 continentes,
operando em 14 línguas.

Nenhum comentário:

Postar um comentário


Videos editados I


Ninguém está autorizado a editar meus vídeos e fazer montagens, cortes, adições ou qualquer outra manipulação com as imagens das palestras.

Somente com autorização por escrito alguém pode usar minhas imagens.

Isso já foi dito na palestra passada e já postei sobre isso.

Quem está fazendo isso está prejudicando o trabalho.

Existe uma estratégia de divulgação feita por mim e que está sendo seguida à risca.

Todos os vídeos editados por outras pessoas devem ser tirados de qualquer mídia em que estiverem.

Postagens populares

Marcadores