domingo, 5 de março de 2017

Projeto Arquétipos em ação XIV Inteligência de Mercado II




Projeto Arquétipos em ação XIV


Inteligência de Mercado e Arquétipos II


Arquétipo “Homem de Negócios”


Existe um Arquétipo “Homem de Negócios”. A existência deste Arquétipo foi mantida em segredo até hoje por motivos óbvios. Seu conhecimento é extremamente valioso, pois como ele tem acesso aos Arquivos Atemporais, conhece o passado, presente e o futuro. Além de qualquer outro conhecimento, já que tudo o que aconteceu, acontece e acontecerá está gravado. É fácil de entender isso quando se conhece as Ondas de Possibilidades que se transformam em Ondas de Probabilidades. Ele conhece tudo isso. 


Cada decisão tomada, cada pensamento emitido, cada ação desencadeada provoca inevitáveis ondulações no Continuum espaço/tempo. Newton disse que se conhecêssemos o movimento de todas as partículas do universo poderíamos saber o futuro. Heisenberg disse que isso é impossível, pois não dá para saber a posição e o momentum de cada partícula. O Princípio de Incerteza. Ele estava certo e isso é um dos fundamentos da Mecânica Quântica. Porém, se conhecêssemos cada Onda de Possibilidade seria possível saber o futuro por mais futuros prováveis que existam ou venham a existir. Essas ondulações acontecem em todas as dimensões da realidade e ondulam por todas elas sem barreira alguma. Tudo está interconectado.


Agora chegamos num ponto da História em que é possível saber da existência dele. Da mesma maneira que a milhares de anos o conhecimento dos Sumo Sacerdotes egípcios era segredo absoluto e hoje é passado abertamente para a humanidade atual, chegou o momento dele também ser conhecido.


Continua...

Hélio Couto

sexta-feira, 3 de março de 2017

Inteligência de mercado I



Inteligência de mercado I

O significado desta expressão é definir uma série que habilidades que permitem prever o comportamento do mercado. Isso tem evidentes vantagens competitivas. Isto é, resultados econômicos.

O que é o mercado?

Ele é composto de que?

Como se comporta?

Qual a sua dinâmica?

Que regras ordenam isso?

Como podemos prever seu comportamento?


Etc.


Todas essas questões são muito interessantes para pessoas que atuam no mercado para ter ganhos econômicos.


Continua...

quinta-feira, 2 de março de 2017

Construindo os 7 corpos I

Construindo os 7 corpos I


Nunca é demais repetir que entender como funciona o Universo é fundamental. Recordemos alguns fatos: antes que existisse algo existia o Todo como pura energia. Nesta energia não existiam partículas, nem bósons, nem átomos, etc. Apenas o Nada pleno de potencial infinito. O Vácuo Quântico. De onde tudo emerge. Portanto, o Todo é tudo-o-que-existe antes que venha existir algo. Em seguida foram emanados os Arquétipos Primordiais. E depois disto os seres para evoluírem. Esta é uma descrição simplificada para facilitar o entendimento.


Quando os seres foram emanados com a Centelha Divina, que é uma parte do Todo, esta Centelha foi “recoberta” com uma suave estrutura que permitiria a evolução dos 7 corpos. Estes corpos são: físico, duplo etérico, astral, mental, causal, búdico e átmico. É evidente que estes 7 corpos têm substância, forma, conteúdo, etc. Alguns são substituídos em cada reencarnação e outros permanecem.


A questão aqui é que quando eles são formados pela primeira vez são apenas uma estrutura onde se deve acrescentar as vivências, experiências, conhecimentos, débitos, créditos, etc. A Centelha Divina está no “centro” disso tudo. Pois bem, a construção destes corpos depende de cada um de nós. Nossas escolhas é que colocam conteúdo nesses corpos. Nós construímos isso a cada segundo de existência com nossos pensamentos, palavras e obras. Estes corpos podem se tornar belíssimos ou não. Pode demorar muito ou não. As infinitas possibilidades estão presentes aqui. Tudo depende de nossas escolhas. Nós plantamos nós colhemos. O livre arbítrio é nosso. Porém, se tudo ficasse restrito à razão pura o risco de estagnação seria enorme, para evitar isso os Arquétipos foram emanados para pôr uma dinâmica nessa evolução.


Estamos dentro de uma vivência mítica e arquetípica. Falando de outra forma, estamos vivendo estórias e criando história. Somos cocriadores desta história e os Arquétipos nos conduzem e ajudam nessa jornada mítica. O corpo de Luz que potencialmente todos podemos ter depende das nossas escolhas segundo após segundo. Não existe limite até onde podemos criar os 7 corpos. Podemos elevar a vibração até níveis inimagináveis. Tudo dependendo dos sentimentos que emanamos. Da mesma forma que tudo depende da emanação do Todo que sustenta tudo a todo momento.


Tudo que fazemos também é informação que colocamos nos 7 corpos. Nós decidimos que informação queremos colocar e desta forma in-formar os 7 corpos.


Continua....






O Poder de soltar XVIII



O poder de soltar XVIII


O filme “The Admiral: Roaring Currents” mostra a guerra entre o Japão e a China em 1597 e como o Almirante Yi Sun-Shin comandou a luta naval com 12 navios contra 330 dos japoneses. É um filme de guerra, mas mostra a questão filosófica.


Como foi possível enfrentar com tal disparidade de forças? 


Como vencer o medo?


Como transformar o medo em coragem?


Sua estratégia mostra o extremo valor que tem o soltar. Tanto na guerra como em qualquer outra atividade o poder de soltar é insuperável.

Hélio Couto

Projeto Arquétipos em ação XIII Criatividade I



Projeto Arquétipos em ação XIII


Criatividade I


Este projeto foi idealizado para que se possa entender o que é um Arquétipo, como eles são e que simbiose podemos ter com eles. 


James Hillman, extraordinário analista junguiano disse: “a psique está governada por potencias arquetípicas, que se representam miticamente nas figuras dos deuses”. “O que se manifesta em nossa psique não é de nossa psique; pertence ao reino da realidade arquetípica. ” “Por mais que sintamos como nossa propriedade, são poderes arquetípicos que encontram sua morada, nos eventos transpessoais que paradoxalmente formam a base da personalidade”. Esta citação é uma parte apenas de um texto mais longo, mas serve para ilustrar o que queremos expor.


Os Arquétipos foram emanados antes de que tudo viesse a existir. Por isso Platão disse que são as ideias primordiais. O universo é uma ideia na mente do Todo e eles são as ideias primordiais. A realidade que se vive sempre é mítica e mantida por Arquétipos. Quanto mais abstrata uma ideia mais poderosa ela é. A questão para nós é como passar uma ideia abstrata para a realidade do dia a dia. É aí que mora o segredo de tudo. 


Por exemplo, o que se chama Inteligência de Mercado é um Arquétipo que percebe, analisa e entende perfeitamente o que aconteceu, está acontecendo e acontecerá. Ele tem a visão perfeita das causas e efeitos.


Uma função implícita de todo Arquétipo é a criatividade. A criatividade é inerente ao universo e permeia tudo. A criatividade resolve todos os problemas e propicia as ideias para a prosperidade infinita. Dadas as condições corretas a criatividade jorra sem parar trazendo novas ideias de negócios, serviços, produtos, soluções, invenções, etc. A Psique é pura criatividade em ação. A criatividade também está moldando a Psique. O tempo todo a Psique está realizando um trabalho de auto evolução e usa a ressonância da criatividade para mudar a si mesma. Esta é uma atividade arquetípica e mítica. Todos estamos vivendo um determinado mito e vivenciando determinados Arquétipos. Isto faz parte do projeto do Universo e de cada ser que o habita. Isto força o crescimento e a evolução de cada um e do universo como um todo. Até aqui tudo bem, mas, e quando as coisas emperram? É nesse ponto que a criatividade é fundamental. Ela está trabalhando para desemperrar as coisas e instiga a psique para que haja para resolver a questão. Todo problema é uma oportunidade de crescimento. 


O que limita a criatividade é o trabalho que uma determinada psique estiver realizando ou não realizando. A psique deveria estar realizando o que propicia mais crescimento para a própria psique e para isso estimula a criatividade. Se isso não acontece é porque a psique coloca obstáculos à criatividade. A função da psique é construir a si mesma usando a criatividade intrínseca ao Universo.


Para que possamos fazer uma simbiose com um determinado Arquétipo e acrescentar mais conhecimento e poder à nossa psique é preciso que eliminemos qualquer protocolo de conduta que impeça a criatividade de vir à tona. Para fazer isso é preciso entender como a criatividade funciona. Estes conceitos estimulam a psique a deixar a criatividade trabalhar.


Quando convidamos um Arquétipo a trabalhar conosco (com nossa psique) tem de haver de nossa parte a atitude de livre arbítrio de permitir a simbiose com o Arquétipo. É uma união de energias, informações, poderes, habilidades, capacidades, etc. que produz um resultado espetacular. Mas, para que a simbiose ocorra é preciso que haja um fluxo de energia arquetípica que propicie isso. Portanto, a primeira coisa é permitir que a energia primordial flua sem restrições na psique. Esta simbiose tem de ocorrer no nível sub quântico da realidade. No nível das ideias primordiais. É ai que os fundamentos da nossa psique estão. Evidentemente que nosso fluxo deve estar livre de obstáculos nesse nível sub quântico, onde ainda não existem os átomos nem as partículas. Só existem as Ideias Primordiais. O que faz esse fluxo funcionar são os sentimentos. É por isso que os Arquétipos são um turbilhão de sentimentos. Somente com os sentimentos é que eles podem ser o que são.


Continua...

segunda-feira, 13 de fevereiro de 2017

Projeto Acelerar o conhecimento V Cartas II


Projeto Acelerar o conhecimento V

“Cartas de baralho” II

Numa das palestras foi explicado como fazer para mudar a reação emocional/mental de um trauma do passado. Basta fechar os olhos e voltar ao momento do trauma. Então mudar a atitude mental/emocional para uma nova atitude positiva em relação a aquilo. Voltar ao momento presente. Nos meses vindouros sentirá as mudanças acontecerem. Isto resolve os problemas do passado.

Quanto ao presente pode-se usar a Causação Descendente. Projetar como se quer estar daqui a 20 anos, por exemplo, definir um planejamento retroativo desde 20 anos no futuro até o presente. Portanto, agora se sabe o que se tem de fazer hoje para estar naquela posição daqui a 20 anos.

O exercício “Cartas de baralho” é para prevenir os problemas no futuro. Quando se analisa uma determinada ação e se percebe as consequências daquilo antes de fazer a tal ação, fica muito mais fácil de não cometer erros. É um simples exercício de pensar antes de agir. Se eu fizer uma dívida o que acontece em seguida? Esta é a primeira carta do baralho mental que a pessoa analisa. Deixe vir a informação da intuição sobre as consequências de fazer esta dívida. A dívida neste caso é só um exemplo. O exercício pode ser feito para qualquer situação de vida que se queira tomar uma decisão. Depois da primeira consequência da dívida vem a segunda carta do baralho e qual é esta consequência? E assim por diante. Vemos o futuro passar diante dos nossos “olhos mentais” claramente. A intuição sabe o futuro provável e nos mostra as consequências. Lembrar de não racionalizar nem imaginar. Racionalizar é quando o ego força uma determinada lógica para provar que está certo. Se a mente estiver aquietada a intuição será clara. Quando está tomando banho já teve uma ideia positiva? Isso é intuição.

Não é preciso usar muitas cartas para chegar na conclusão. Logo se vê qual o resultado final daquela atitude. Se é positiva ou negativa. Então a pessoa pode tomar uma decisão consciente do que quer fazer. Isso é o contrário de fazer para ver no que dará. Isto é pura tentativa e erro. Esse método sai muito caro. A vantagem de deixar a intuição dizer o futuro é para que não se racionalize para justificar uma atitude. Será que realmente eu preciso fazer está dívida? Será que realmente eu preciso disto? O que resultará disso em um ano? Ou dez? Toda as consequências desdobram-se na visão da mente. Porém, é preciso querer ver a realidade e não simplesmente deixar o ego assumir o controle da vida. Não racionalizar os desejos do ego para justificar as atitudes. Uma coisa é uma análise de viabilidade econômica de um projeto e outra o desejo de que tem que dar certo!

Assim que vir que a consequência é negativa basta soltar a atitude que iria tomar e este futuro provável desaparecerá.

Hélio Couto

domingo, 12 de fevereiro de 2017

Projeto Acelerar o conhecimento IV Cartas de baralho




Projeto Acelerar o conhecimento IV


“Cartas de baralho”


O exercício “Cartas de baralho” é um excelente instrumento de expansão da consciência. É um exercício mental.


Imagine um determinado objetivo que tenha muita vontade de conseguir.


Imagine que tem um baralho em mãos e abra as cartas sobre uma mesa.


Cada carta posta na mesa é uma consequência dos atos feitos para conseguir o que deseja.


À medida que vai pondo as cartas todas as consequências aparecem, tanto do ponto de vista mental como também o emocional.


Quando puser a última carta terá a última consequência.


O que sente então?


Este exercício é extremamente eficiente para mostrar o que a intuição mostra. Atentar para o detalhe de que intuição não é imaginação. Se este exercício for feito deixando que a informação venha da intuição será muito instrutivo sobre a questão do desejo. Vale a pena ou não o trabalho para conseguir este desejo?

Hélio Couto


terça-feira, 7 de fevereiro de 2017

Transcender a regressão à média

Transcender a regressão à média

Regressão à média é um fenômeno muito conhecido. A zona de conforto e autossabotagem fazem parte dele. Toda pessoa tem uma média de produtividade em tudo o que faz. Essa média é o padrão da pessoa. De vez em quando há um salto qualitativo, tanto positivo ou negativo. Uma atuação surpreendente tanto positiva como negativa. A pessoa melhora muito ou piora muito. Mas, logo volta ao normal. Volta à média. Conhecendo essa média sabemos o futuro desta pessoa. 

Raros são os casos em que essa média é transcendida. Para isso é preciso um esforço hercúleo para vencer a zona de conforto. Só existe progresso quando se transcende isso. Quando estabelecemos uma nova média acima da de sempre. Firmada esta nova média o progresso será constante. A questão aqui é que para fazer isso a pessoa precisa tomar decisões muito desconfortáveis, pois sairá da zona de conforto continuamente, já que estará numa nova média. Porém, não há jeitinho que se possa dar neste fenômeno. Analisem o comportamento dos filhos por exemplo. Os picos de comportamento para melhor ou pior não são o real. O que importa saber é como são na média do dia a dia. Então se pode estabelecer uma estratégia para tira-los desta média e faze-los crescer. Isso vale para uma empresa, um país, etc. 

É preciso vencer essa inércia em direção à média caso desejemos progredir. Quantos livros a pessoa lê por ano? Essa é a média. Imagine o esforço para aumentar esse número. As opções do que faz com o tempo que tem? As prioridades que terá de mudar? E isso de forma permanente!

Se queremos progredir consistentemente é preciso que saiamos da média!

Videos editados I


Ninguém está autorizado a editar meus vídeos e fazer montagens, cortes, adições ou qualquer outra manipulação com as imagens das palestras.

Somente com autorização por escrito alguém pode usar minhas imagens.

Isso já foi dito na palestra passada e já postei sobre isso.

Quem está fazendo isso está prejudicando o trabalho.

Existe uma estratégia de divulgação feita por mim e que está sendo seguida à risca.

Todos os vídeos editados por outras pessoas devem ser tirados de qualquer mídia em que estiverem.

Postagens populares

Marcadores