segunda-feira, 13 de fevereiro de 2017

Projeto Acelerar o conhecimento V Cartas II


Projeto Acelerar o conhecimento V

“Cartas de baralho” II

Numa das palestras foi explicado como fazer para mudar a reação emocional/mental de um trauma do passado. Basta fechar os olhos e voltar ao momento do trauma. Então mudar a atitude mental/emocional para uma nova atitude positiva em relação a aquilo. Voltar ao momento presente. Nos meses vindouros sentirá as mudanças acontecerem. Isto resolve os problemas do passado.

Quanto ao presente pode-se usar a Causação Descendente. Projetar como se quer estar daqui a 20 anos, por exemplo, definir um planejamento retroativo desde 20 anos no futuro até o presente. Portanto, agora se sabe o que se tem de fazer hoje para estar naquela posição daqui a 20 anos.

O exercício “Cartas de baralho” é para prevenir os problemas no futuro. Quando se analisa uma determinada ação e se percebe as consequências daquilo antes de fazer a tal ação, fica muito mais fácil de não cometer erros. É um simples exercício de pensar antes de agir. Se eu fizer uma dívida o que acontece em seguida? Esta é a primeira carta do baralho mental que a pessoa analisa. Deixe vir a informação da intuição sobre as consequências de fazer esta dívida. A dívida neste caso é só um exemplo. O exercício pode ser feito para qualquer situação de vida que se queira tomar uma decisão. Depois da primeira consequência da dívida vem a segunda carta do baralho e qual é esta consequência? E assim por diante. Vemos o futuro passar diante dos nossos “olhos mentais” claramente. A intuição sabe o futuro provável e nos mostra as consequências. Lembrar de não racionalizar nem imaginar. Racionalizar é quando o ego força uma determinada lógica para provar que está certo. Se a mente estiver aquietada a intuição será clara. Quando está tomando banho já teve uma ideia positiva? Isso é intuição.

Não é preciso usar muitas cartas para chegar na conclusão. Logo se vê qual o resultado final daquela atitude. Se é positiva ou negativa. Então a pessoa pode tomar uma decisão consciente do que quer fazer. Isso é o contrário de fazer para ver no que dará. Isto é pura tentativa e erro. Esse método sai muito caro. A vantagem de deixar a intuição dizer o futuro é para que não se racionalize para justificar uma atitude. Será que realmente eu preciso fazer está dívida? Será que realmente eu preciso disto? O que resultará disso em um ano? Ou dez? Toda as consequências desdobram-se na visão da mente. Porém, é preciso querer ver a realidade e não simplesmente deixar o ego assumir o controle da vida. Não racionalizar os desejos do ego para justificar as atitudes. Uma coisa é uma análise de viabilidade econômica de um projeto e outra o desejo de que tem que dar certo!

Assim que vir que a consequência é negativa basta soltar a atitude que iria tomar e este futuro provável desaparecerá.

Hélio Couto

domingo, 12 de fevereiro de 2017

Projeto Acelerar o conhecimento IV Cartas de baralho




Projeto Acelerar o conhecimento IV


“Cartas de baralho”


O exercício “Cartas de baralho” é um excelente instrumento de expansão da consciência. É um exercício mental.


Imagine um determinado objetivo que tenha muita vontade de conseguir.


Imagine que tem um baralho em mãos e abra as cartas sobre uma mesa.


Cada carta posta na mesa é uma consequência dos atos feitos para conseguir o que deseja.


À medida que vai pondo as cartas todas as consequências aparecem, tanto do ponto de vista mental como também o emocional.


Quando puser a última carta terá a última consequência.


O que sente então?


Este exercício é extremamente eficiente para mostrar o que a intuição mostra. Atentar para o detalhe de que intuição não é imaginação. Se este exercício for feito deixando que a informação venha da intuição será muito instrutivo sobre a questão do desejo. Vale a pena ou não o trabalho para conseguir este desejo?

Hélio Couto


terça-feira, 7 de fevereiro de 2017

Transcender a regressão à média

Transcender a regressão à média

Regressão à média é um fenômeno muito conhecido. A zona de conforto e autossabotagem fazem parte dele. Toda pessoa tem uma média de produtividade em tudo o que faz. Essa média é o padrão da pessoa. De vez em quando há um salto qualitativo, tanto positivo ou negativo. Uma atuação surpreendente tanto positiva como negativa. A pessoa melhora muito ou piora muito. Mas, logo volta ao normal. Volta à média. Conhecendo essa média sabemos o futuro desta pessoa. 

Raros são os casos em que essa média é transcendida. Para isso é preciso um esforço hercúleo para vencer a zona de conforto. Só existe progresso quando se transcende isso. Quando estabelecemos uma nova média acima da de sempre. Firmada esta nova média o progresso será constante. A questão aqui é que para fazer isso a pessoa precisa tomar decisões muito desconfortáveis, pois sairá da zona de conforto continuamente, já que estará numa nova média. Porém, não há jeitinho que se possa dar neste fenômeno. Analisem o comportamento dos filhos por exemplo. Os picos de comportamento para melhor ou pior não são o real. O que importa saber é como são na média do dia a dia. Então se pode estabelecer uma estratégia para tira-los desta média e faze-los crescer. Isso vale para uma empresa, um país, etc. 

É preciso vencer essa inércia em direção à média caso desejemos progredir. Quantos livros a pessoa lê por ano? Essa é a média. Imagine o esforço para aumentar esse número. As opções do que faz com o tempo que tem? As prioridades que terá de mudar? E isso de forma permanente!

Se queremos progredir consistentemente é preciso que saiamos da média!

segunda-feira, 6 de fevereiro de 2017

Projeto Arquétipos em ação XII




Joseph Campbell foi um dos maiores mitólogos que já existiram. Sua obra é extraordinária. Uma vida inteira dedicada ao estudo dos mitos e à divulgação dos mesmos. Trinta e oito anos ensinando com uma vida totalmente dedicada a isso. Somente esse grau de dedicação pode criar uma obra desta magnitude. No dia em que sua obra for entendida o salto de consciência da humanidade será gigantesco.


Uma das coisas que ele sempre ensinou é ver a vida como ela é. Isto é, devemos buscar o conhecimento da Realidade Última. A realidade objetiva e não as projeções que fazemos ou idealizações. O inverso da visão romântica da vida. Muitos dos rituais em todas as mitologias são difíceis de vivenciar-se porque o objetivo é a transformação total do ser. Um menino que vira homem, por exemplo. Essas culturas entendiam o risco de não amadurecer era muito grande e perigoso. Nenhuma tribo pode correr o risco de seus membros não se tornarem adultos e por isso a mitologia é tão importante. Num ritual de morte/renascimento a pessoa cresce de qualquer forma. E isso é feito da forma mais benevolente possível, mas tem de ser forte o suficiente para a transformação. Caso contrário, a Calcinatio dos alquimistas dará conta do recado. Isso sempre aconteceu desde 6 mil anos atrás e a alquimia é de muito menos que isso. Portanto, os xamãs já sabiam de tudo isso.


Campbell sempre explicou que toda sociedade precisa ter uma mitologia viva sendo vivenciada pelos seus membros. Sem isso esta sociedade transforma-se numa coisa estéril e fracassa. Todo império ou civilização que desapareceu foi por causa disto. Perderam a sua mitologia e seus habitantes não tinham mais nada espiritual para seguir. Pois, toda mitologia é espiritual. Sempre é uma explicação sobre os deuses, o inicio do mundo, as leis que regem tudo, como conseguir resultados, etc. Sem isso a vida torna-se estéril e a decadência é inevitável. É por esta razão que é fácil perceber quando uma civilização, país, tribo, família, etc. está em decadência ou prestes a entrar nela. O futuro é um livro aberto para quem conhece o passado. E isto porque dificilmente os homens e nações mudam. Sempre é necessária uma catarse gigantesca para provocar uma mudança. Vejam que a Guerra da Crimeia, as Duas Guerras Mundiais e todas as demais ainda não foram suficientes para provocar uma mudança de consciência. Isso foi o que Campbell alertou a vida inteira. A humanidade moderna perdeu a sua mitologia e agora não há nada para guiar as sociedades vigentes e é por isso que as crises são contínuas. Basta estudar os seis mil anos de história para ver isso se repetindo sem cessar. Quando havia uma mitologia havia progresso e quando se perdia essa visão a decadência era inevitável. Para progredir é indispensável ter uma mitologia para nortear a vida.


Estudar toda a obra de Joseph Campbell é indispensável e urgente.

Hélio Couto

quarta-feira, 1 de fevereiro de 2017

Projeto Acelerar o conhecimento III Meditação I



Projeto Acelerar o conhecimento III


Meditação da Consciência Arquetípica I


Uma excelente forma de acelerar a aprendizagem é a Meditação da Consciência Arquetípica (MCA). Esta meditação permitirá seu eu mais profundo entrar em contato com o Akasha liberando seu ego para aprender diretamente da Fonte. O simples fato de estar lendo este texto já é uma prova de que está à procura da transcendência das formas de maia. Para entender esse trabalho é preciso deixar a mente científica de lado e mergulhar na intuição mais profunda que existe em tudo o que existe. Este lago profundo de onde tudo emerge. O simples fato de ler estas palavras ativará os códigos chave para o despertar da sua essência divina.


Esta é a forma mais rápida de adquirir conhecimento em todas as suas formas. O desdobramento do seu espírito para ter contato direto com os Arquétipos permitirá entender o porquê de tudo ser como é. O conhecimento do passado, presente e futuro é apenas o conhecimento do eterno agora. Tudo se desdobra constantemente seguindo uma lógica inexorável. O que parece um Cisne Negro é apenas a consequência lógica de inúmeras variáveis que normalmente nem se conhece que existem. O conhecimento das causas primeiras é fundamental para se entender o presente e o futuro.


Nesta meditação profunda auto induzida estamos conscientes e desdobrados ao mesmo tempo. Executando várias funções ao mesmo tempo em várias dimensões. Em todas essas dimensões estamos absorvendo conhecimento de inúmeras formas. Não é imaginação o que se pretende aqui. Imaginação é importante, mas em outro contexto. Aqui é uma ação multidimensional. Este trabalho tem de ser feito com supervisão de um mentor espiritual para sua própria proteção. 


A Consciência Arquetípica contém toda a informação que já existiu, está existindo agora e tem todos os potenciais futuros. Pode ser que apareçam imagens, mas se isso acontecer elas devem ser espontâneas e não fruto de racionalização. É preciso muito discernimento para separar uma coisa da outra. A realidade é uma coisa e o que se deseja outra. A realidade está além de todo o condicionamento psicológico que possa ter sido feito. Todo o automatismo é enganoso. Receberemos a informação que necessitamos receber. Os Arquétipos conduzem a meditação para o melhor resultado possível no momento. 


Quando uma pessoa está lendo um livro complexo e tem vislumbres de novos significados dos fatos ou de acontecimentos passados, esse é um momento de expansão da complexidade da consciência. A pessoa sente que algo expandiu dentro de si. Há um salto consciencial imediato. Isto lendo um livro. No caso da meditação não existe limite de tempo nem de espaço para que esse salto seja dado. Não existem limites. Só depende de quanto a pessoa quer aprender e pôr em prática. Isto é importante, porque conhecimento sem prática é inútil. É preciso vivenciar o conhecimento adquirido. Somente assim ele será incorporado emocionalmente. E desta forma passará a fazer parte realmente do mais profundo do ser. Não mais é preciso pensar para ser. Simplesmente se é. Neste ponto não existe mais persona nem máscara. Só existe uma realidade última. Nesse ponto o mundo de maia desapareceu e se pode trafegar em todas as dimensões.


Quando voltamos no passado vivenciamos a situação como era na época. No Akasha é possível ver os fatos em três dimensões e num nível mais avançado “entrar” na história e participar. Tudo está gravado a ferro e fogo? Não! Tudo é plasmável e modificável. Tudo pode ser vivenciado novamente e fazer de outra forma com resultados diferentes. Existem inúmeras realidades acontecendo ao mesmo tempo. Porque existiria algum limite se a emanação está plena de infinitas possibilidades? Porém, as infinitas possibilidades só existem para aqueles que elevaram a própria vibração ao nível da emanação primordial. Neste ponto tudo é plasmável. Isto é fundamental que seja entendido. Uma pedra tem poucas possibilidades de agir no mundo, quanto mais em livrar-se da consciência de maia. 


A meditação propicia uma expansão acelerada em todos os sentidos. No entanto, os insigths devem ser seguidos com discernimento. Tudo que é construtivo é positivo. O contrário também é verdadeiro. É muito fácil de perceber os resultados pelos frutos da árvore. É indispensável gastar o tempo que for para conseguir o autoconhecimento que exponencia a meditação. São níveis que se abrem a cada dia em que ela é praticada. O mundo dos Arquétipos é tão real quanto este em que vivemos materialmente. Mas, ele está em outra dimensão vibracional. No entanto, o que é uma dimensão? É uma simples questão de vibração atômica. Aprofundando a meditação é possível aumentar a vibração para atravessar as barreiras dimensionais e ir até onde nossa vibração permitir. Portanto, o único obstáculo é a nossa frequência vibracional e isso nós controlamos com a nossa evolução. Isso só depende de nós. 


Dentro do campo da consciência existem muitos níveis de acesso a partes que não são conhecidas por nós conscientemente. Conhecer o que existe nestes meandros é importante e isso deve ser feito apenas com a meditação conduzida pelo mentor espiritual. Desde que isso seja feito não há problema. É preciso optar conscientemente por mentores da Luz. Quando saímos do mundo de maia a realidade é muito diferente do que imaginávamos ser. E é por isso que aprendemos rapidamente. Multidimensões quer dizer a vivência de todas as variáveis ao mesmo tempo. Podendo ficar centrado em qualquer uma delas. Nós estamos imaginando a vida de uma borboleta ou é a borboleta que está imaginando a nossa vida? Como ter certeza disto? Ou as duas coisas estão acontecendo ao mesmo tempo? E se incluirmos todas as borboletas do mundo? Vivenciando cada uma delas e cada uma delas vivenciando todas as demais? Não seria isso o que se quer dizer que tudo está interconectado desde o início? Qual o limite da interconexão? Se a Consciência Arquetípica permeia tudo?


Uma coisa muito difícil para qualquer historiador é definir a ignorância de algum tempo sendo estudado. Estudar os fatos depois de 200 anos e achar que deveria ter sido feito isso ou aquilo é muito fácil, mas naquele momento específico o que eles sabiam e o que eles ignoravam? Essa é a questão em todas as épocas. E hoje? Qual é a ignorância (no sentido de desconhecer) que temos? Este fato atrasa demais nossa evolução. Com a meditação podemos transcender isso e ter a visão que no futuro terão de nós ou que nós teríamos de nós mesmos no futuro. Como seu eu daqui a um milhão de anos analisaria o que acontece agora? O que ele acha que deveria ser feito agora? Um fato é irreversível: daqui a um milhão de anos cada um fará esta avaliação. 


Continua...

Hélio Couto
www.aceleraroconhecimento.com.br

terça-feira, 31 de janeiro de 2017

Projeto Arquétipos em ação XI Protocolo IV




Projeto Arquétipos em ação XI


Protocolo IV


A primeira grande transformação acontece quando percebemos que o contato com os Arquétipos muda o nosso paradigma. A visão de mundo forçosamente se expande quando percebemos as características pessoais de cada Arquétipo. Cada Arquétipo ressoa numa determinada faixa vibratória. Podemos sintonizar nesta faixa da mesma maneira que sintonizamos uma determinada rádio. 


Cada Arquétipo tem suas qualidades e defeitos. Como também muitas habilidades. É lógico que o Arquétipo é o expoente deste tipo de vibração. Digamos que é a perfeição daquilo. O modelo. Devemos também considerar que cada Arquétipo também está em evolução continuamente. Sendo assim é uma via de mão dupla. O Arquétipo faz com que evoluamos e nós também fazemos com que ele evolua. Todos rumando para uma perfeição cada vez maior.


São inúmeros os Arquétipos emanados a fim de cobrir todas as infinitas possibilidades. Como o Arquétipo está vivo e atuante ele pode a qualquer momento adotar novos comportamentos, atitudes, ações, etc., resultando em novas formas de atuação e efeitos. A vida de um Arquétipo é dinâmica no mais profundo sentido. Suas trocas de energia são feitas diretamente com o Todo e tudo que é troca de energia também é troca de informação. Novas formas de atuar são continuamente implementadas visando a evolução máxima dentro do menor tempo possível. O descanso do Arquétipo é sua atuação. O ímpeto de realizar está no mais profundo do seu ser, já que o Arquétipo impulsiona tudo no Universo que está na sua vibração.


Quando isso é entendido nunca mais a pessoa é a mesma. Tudo passa a ter novo sentido na vida e é por esta razão que o Arquétipo solta a vida. Quando faz isso ele permite que sua própria expansão seja a maior possível no momento. É por esta razão que ele insiste para que a pessoa faça o mesmo. 


Quando a transformação acontece é claramente visível no olhar da pessoa que está deixando o Arquétipo atuar. É impossível não transparecer o nível de realização que se atingiu e isso atrai mais do mesmo. Quando se dá o primeiro salto de consciência tudo muda na vida. Existem inúmeros estados de consciência para se atingir. Cada nível mais profundo que o anterior, mas todos luminosos.

Hélio Couto

Distribuição de livros I


Distribuição de livros I

A questão da distribuição de livros que foi objeto de uma postagem de três anos atrás já foi resolvida.

Todos os livros novos e antigos serão colocados em e-book para serem baixados gratuitamente no meu site. O primeiro que será distribuído será a “Coletânea de Prosperidade”. Em breve estará disponível. No momento a capa está sendo definida e a diagramação está sendo feita. Este livro também estará disponível em papel para compra na Editora Linear B. Portanto, o e-book será gratuito, só para deixar claro.

Desta forma não há necessidade de enviarem e-mails oferendo para distribuir, já que está resolvido. 

Nestes livros todas as questões e dúvidas que existirem já estão respondidas. O assunto já foi exaustivamente explicado. Lembramos que até o momento temos 72 vídeos que explicam o assunto. Como o assunto é complexo é evidente que não seria possível explica-lo em um vídeo apenas. Desta forma a explicação completa está nos 72 vídeos. Qualquer nova explicação que se fizer necessária virá nos próximos vídeos. Tudo que é necessário saber para ser próspero está nestes vídeos e livros. E tudo isso fornecido gratuitamente.

Assuntos específicos de interesse restrito estarão na plataforma de Ensino à Distância com um valor acessível. Reitero que esses assuntos são especiais e para fins especiais. Portanto, as necessidades normais da vida como prosperidade e relacionamentos estão fornecidas gratuitamente. As palestras de EAD são para um público com interesses particulares.

Agradeço as ofertas de ajuda e quando se fizer necessário entrarei em contato pessoalmente.

Hélio Couto

Videos editados I


Ninguém está autorizado a editar meus vídeos e fazer montagens, cortes, adições ou qualquer outra manipulação com as imagens das palestras.

Somente com autorização por escrito alguém pode usar minhas imagens.

Isso já foi dito na palestra passada e já postei sobre isso.

Quem está fazendo isso está prejudicando o trabalho.

Existe uma estratégia de divulgação feita por mim e que está sendo seguida à risca.

Todos os vídeos editados por outras pessoas devem ser tirados de qualquer mídia em que estiverem.

Postagens populares

Marcadores